Água Doce está entre os municípios que registraram mortes pelo coronavírus no Maranhão.

0
35

Pela terceira vez consecutiva o Maranhão bateu recorde de mortes pela Covid-19 com 49 óbitos registrados em 24 horas nessa sexta-feira dia 9 de abril, segundo a Secretaria de Estado da Saúde, a SES. É a terceira vez que o Maranhão bate recordes de mortes pela doença em menos de uma semana.

O Maranhão acumula agora 247.747 casos registrados e 6465 óbitos pela doença em toda a pandemia. Dos novos casos registrados nesta sexta (9), 91 foram na Grande Ilha, São Luís, que compreende São José de Ribamar, Paço do Lumiar e Raposa, 36 em Imperatriz e 513 nos demais municípios do estado.

Os casos ativos, ou seja, pessoas que estão atualmente em tratamento contra a Covid-19, chegaram a 16.854. Desses, 15.403 foram orientados a estar em isolamento domiciliar, 873 estão internados em enfermarias e 578 em leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Até o momento, 224.428 pacientes já se recuperaram da Covid-19.

Detalhes das mortes

As 49 novas mortes provocadas pela Covid-19 foram registradas nas cidades de Água Doce do Maranhão (1), Arari (1), Bacabal (1), Bela Vista do Maranhão (1), Brejo de Areia (1), Cururupu (1), Dom Pedro (1), Grajaú (1), Igarapé do Meio (1), Itapecuru Mirim (1), Paço do Lumiar (1), Pedreiras (1), Poção de Pedras (1), Porto Franco (1), Açailândia (2), Arame (2), Codó (2), Lagoa do Mato (2), Vitorino Freire (2), Imperatriz (3), Santa Luzia (3), Caxias (4), Timon (4), Santa Inês (5) e São Luís (6).

Onze mortes ocorreram nas últimas 24 horas. Os demais foram registrados em dias ou semanas anteriores e aguardam resultado do exame laboratorial para Covid-19, segundo a SES. Quanto aos profissionais da saúde, 4.443 já foram infectados pela Covid-19, 4.278 se recuperaram da doença e 77 morreram.

Ao todo, a Secretaria de Saúde diz que já foram realizados 601.601 testes (rede privada + pública) para a Covid-19, sendo que 455.069 casos foram descartados. O número de casos suspeitos é de 2506. Fonte: SES. Foto: MaHoje. Edição: APM Notícias.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui