China é o maior importador de produtos do Maranhão, aponta FIEMA.

0
42

Com negócios na ordem de US$ 834,69 milhões, a China segue como o maior comprador de produtos do Maranhão. As exportações da indústria maranhense para o país asiático representaram 24,2% do que foi exportado pelo estado em 2020. Os dados constam do estudo Comércio Internacional dos Municípios do Maranhão, produzido pela Federação das Indústrias do Estado do Maranhão.

Além da China, Canadá, Estados Unidos, Espanha e Holanda são os cinco maiores destinos para as exportações do Maranhão, respondendo por 76% do valor das exportações feitas pelo estado no ano passado.

Neste  ano de 2020,  atípico em razão da crise sanitária e econômica provocada pela pandemia do novo coronavírus, as exportações maranhenses registraram um valor total de US$ 3,408 bilhões. Comparativamente a 2019, as exportações estaduais sofreram uma queda de 4,9%.

“Considerando a natureza global da pandemia, a queda de 4,90% no valor das exportações do Maranhão, em 2020, em relação a 2019, cabe perfeitamente no índice negativo de 9,2% projetado pela Organização Mundial do Comércio (OMC) para o volume do comércio internacional de bens”, explicou o economista José Henrique Polary, responsável pelo estudo.

O município de São Luís concentra 42,4% do valor de todas as exportações municipais, sendo seguido por Imperatriz, Balsas, Godofredo Viana, Anapurus, Porto Franco e Açailândia. Mas, o estudo aponta uma expansão tímida no percentual de municípios maranhense que participam do fluxo de comércio internacional, saindo de 18,9% em 2019 para um percentual de 19,2% no ano passado.

No contexto da região Nordeste, o Maranhão é o segundo estado exportador, com uma participação de 21,0% nas exportações regionais, perdendo apenas para a Bahia (48,3%). No ranking nacional, ocupa a 13ª posição.

O fluxo de comércio com a China mostrou um leque muito grande de possibilidades de negócios contínuos. Seis grupos de produtos são os destaques principais: liderados pela soja, minérios de ferro aglomerados e seus concentrados; pasta química de madeira; ferro fundido bruto não ligado; algodão e produtos semimanufaturados de ferro ou aço não ligados. Fonte: MaHoje. Fotos: Imirante/P&N. Edição: APM Notícias. 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui